Haras Mystic Rose exporta cavalos e mantém investimento na criação nacional meio à crise da Covid-19

Criatório de cavalos do interior paulista acaba de exportar duas éguas de alto nível para os EUA que já se encontram em quarentena em Miami. Nilson Leite, titular do Haras Mystica, garante: “em toda crise encontramos novos caminhos e soluções.”

Meio a uma crise de saúde sem precedentes devido à pandemia Covid-19, o investimento e  negócios do Haras Rosa Mystica, situado no interior paulista na região de Sorocaba, não param. Chegaram nos EUA nessa quarta-feira, 1/4, as éguas Zilouet Mystic Rose, de 6 anos, e Atomica 3K Mystic Rose, de 9 anos. A dupla de éguas Brasileiro de Hipismo (BH) de propriedade Haras Mystica agora passa a ser treinada pelo cavaleiro Juan Manuel Bolanos, de El Salvador e titular da BZB Barn LLC, concorrido centro de treinamento de ponta na Florida, EUA. Vale lembrar que cavalos de esporte são obrigatoriamente vacinados contra Influenza a cada ano e não contraem e não transmitem a Covid-19.

Banner Spur
Zilouet Mystic Rose, filha de Balou du Rouet x Chin Chin, foi grande campeã nacional da Exposição do BH 2016, principal exposição anual de cavalos de criação nacional promovida pela Associação Brasileiro dos Criadores do Cavalo de Hipismo (ABCCH). Em 2019, saltou provas de cavalos novos 5 anos com o renomado cavaleiro Bartholomeu Bueno de Miranda. Já Atomica 3K Mystic Rose, filha de Cardento em Indoctro, está competindo com sucesso na série 1.35/1.40m, apresentada pelo top João Paulo Gouveia.

Pan e Olimpíadas – O Haras Rosa Mystica, de propriedade de Nilson Leite e família, vem investindo forte em animais exclusivos e alta qualidade. No Pan Lima 2019, o criatório contou com dois Brasileiros de Hipismo em pista. Magnólia Mystica Rose, conduzida por Juan Andres Rodriguez Silva, da Guatemala, e Zambia Mystic Rose, montada pela equatoriano Diego Javier Vivero Viteri. As éguas formadas no Brasil eram as únicas da raça BH nos Jogos.

Atualmente Magnolia Mystic Rose é montada por Eduardo Menezes, radicado nos EUA e integrante do Time Brasil medalha de ouro no Pan Lima 2019. O conjunto está fortes candidatos a uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, agora reagendados para 2021. Já Zambia Mystic Rose passou a ser montada pelo cavaleiro pan-americano Felipe Amaral com bons resultados na Europa e também figura na lista de conjuntos em observação para formação do Time Brasil de Salto na próxima Olimpíada.

“O objetivo esportivo com a Atomica 3K Mystic e Zilouet Mystic Rose é disputar os Jogos Centro-americanos no Panamá em 2022 e depois os Jogos Pan-americanos do Chile em 2023. Já a Magnolia, que com Eduardo Menezes fechou os Internacionais do início do ano na Florida com excelentes resultados, é nossa principal aposta para a Olimpíada do Japão. No momento ficou adiada a sua ida para as seletivas na Europa, mas vamos retomar o projeto olímpico com força total após a liberação de concursos hípicos que a exemplo de outras modalidades esportivas estão suspensos devido à pandemia da Covid-19”, explica Nilson Leite. “Mas, é claro, que nossos cavalos sempre estão abertos à negociação para eventuais vendas”, acrescenta o criador, sem revelar valores. “Não podemos parar: em toda a crise encontramos novos caminhos e soluções”, garante Nilson que no momento praticamente não tem cavalos para negociação e atua no ramo de informática e gestão hospitalar.

Zilouet Mystic Rose em casa no Haras no interior paulita (Tupa Divulgação)
Zilouet Mystic Rose em casa no Haras no interior paulita (Tupa Divulgação)