Leilão do Bem Campolina é sucesso em ações beneficentes pelo Brasil

Foto - Eudes Siqueira

Com o espírito de ajudar os mais vulneráveis, em um momento incerto, devido à pandemia do Covid-19, criadores do cavalo Campolina se mobilizaram e realizaram um leilão beneficente de cobertura dos principais garanhões da raça, arrecadando mais de 100 mil reais.

O dinheiro, que será convertido em cestas básicas, será destinado a várias instituições de caridade de cinco estados brasileiros (Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo).

O leilão foi idealizado e, também, colocado em prática, pelo núcleo de criadores de Pernambuco e, rapidamente, se espalhou pelo Brasil, por meio das redes sociais. Toda a ação foi realizada com a ajuda de ferramentas on-line, evitando o contato físico dos participantes.  “Na verdade, eu lancei essa ideia em um grupo que participo e, com isso, foi tomando uma proporção muito grande rapidamente”, explicou Renato Tavares, proprietário do Haras da Marcha, em Pernambuco.

Devido ao envolvimento de tantos criadores, a ABCCC – Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Campolina, com sede em Belo Horizonte, disponibilizou a sua estrutura para arrecadar os lances. Cada presidente ou responsável pelo núcleo dos estados ficará responsável por escolher as instituições que serão contempladas. Existe uma regra que a instituição tem que ter CNPJ.

Os organizadores acreditam que a iniciativa, certamente, influenciará criadores de outras raças para fazerem a mesma ação, visto o sucesso dos criadores do cavalo Campolina.

A exemplo de outros criadores de renome nacional, o empresário Cauby Morais vestiu a camisa imediatamente, disponibilizando a cobertura do garanhão Atroz do Porto Rico, atual campeão dos campeões, da 59ª Exposição Estadual do Cavalo Campolina de Minas Gerais. “Agora temos que ajudar uns aos outros e, por meio da força do associativismo, fazermos muito mais”, explicou Cauby.

Uemerson de Oliveira, presidente do núcleo de criadores de Belo Horizonte, fala da importância dessa união. “Esse tipo de atitude demonstra a união e o lado social da raça Campolina que une forças em prol de uma ação que visa ajudar aqueles  que passam por necessidade em tempos de pandemia”, conclui.