Transporte de cavalos: saiba os cuidados necessários

Para quem trabalha com equinos, o transporte é uma das realidades dos processos de manejo do animal. Assim, o transporte de cavalos, em geral, requer além do atendimento a quesitos exigidos pelos órgãos reguladores, atenção às normas de segurança. Para esses casos é preciso, principalmente, cuidados especiais ao longo da viagem dos mesmos, visando preservar sua integridade física, saúde e segurança.

Fonte: Escola do Cavalo

Banner Thaty Aulas

Desse modo, primeiramente, o motorista deve atentar-se para o cumprimento das Leis do Código de Trânsito Brasileiro, além de seguir as leis fiscais e sanitárias de transporte de solípedes (animal cujo pé tem um só dedo, um só casco). 

Pensando nos cuidados necessários para o transporte de cavalos, separamos os principais pontos de atenção que os envolvidos nesse processo precisam conhecer para que a saúde e conforto do animal sejam mantidos. Confira!

Cuidados necessários no transporte de cavalos

Primeiramente, é preciso considerar que o transporte de cavalos realizado no Brasil é feito, basicamente, por vias rodoviárias, com caminhões, carretas e trailers. Além desses, existe a possibilidade de realizar o transporte de equinos por vias aéreas, marítimas, e também por ferrovias. Seja qual for o meio de transporte e a via utilizada, o motorista deve estar atento para a segurança e o bem estar do animal. 

Sendo assim, conheça os cuidados necessários para que esse processo aconteça com segurança:

Transporte de éguas e potros

Ao realizar o transporte de éguas e potros, alguns pontos são essenciais para evitar danos à saúde dos animais envolvidos. Animais recém-nascidos cujo umbigo não esteja cicatrizado, fêmeas que tenham parido há menos de quarenta e oito horas, e fêmeas com gestação próxima ao final, que irão parir, não devem ser considerados animais aptos para serem transportados. É preciso respeitar o tempo necessário de recuperação dos animais pós-parto. Além disso, o período final da gestação em éguas é essencial para o desenvolvimento do potro, e portanto estresses devem ser evitados.

Atenção ao meio transporte escolhido

O meio de transporte deve dispor, pelo menos, de espaço suficiente para o animal ficar de pé na sua posição natural. Em casos de viagens longas, estes deverão, também, dispor de espaço para poderem deitar-se. É importante ter em mente que o transporte de cavalos pode ser uma das fontes de estresse no animal, o que afeta, em certos casos, sua saúde e desempenho. Portanto, é importante que o animal esteja, sim, o mais confortável possível.

Cuidados com as cargas vivas

É essencial ter em mente que, mesmo sendo chamados ‘carga’ viva o cuidado com os animais é o mais importante nesse processo. Assim, nos compartimentos em que se transportam cavalos não devem ser carregadas mercadorias que possam prejudicar o bem estar dos mesmos. Entre essas podemos exemplificar, partes e pedaços de estruturas soltas, que podem ferir o animal, caixas de produtos, enfim, nada que possa machucar ou ocupar o espaço disponível de forma a restringir ainda mais o animal.

Atenção às estruturas do veículo

Para o transporte de cavalos, o pavimento do veículo deve estar em perfeitas condições, de modo a evitar que os animais escorreguem. Quando for utilizada serragem, esta não deve ser muito fina, pois, com transporte, podem ocorrer lesões nos olhos dos cavalos. Além disso, os meios de transporte devem ser construídos e utilizados de modo a proteger os animais de intempéries. O desconforto termal, também é uma fonte de estresse e de insalubridade ao animal. Outro ponto é que a estrutura do veículo deve permitir a inspeção e o tratamento dos animais, bem como proporcionar a circulação de ar.

Sinalização do veículo utilizado

Todos os veículos que fazem o transporte de carga viva devem estar marcados com um símbolo que indique a presença de animais vivos e um sinal que indique a posição em que se encontram. Essa informação garante a segurança do transporte, principalmente em rodovias.

Segurança dos animais

No transporte de cavalos, se os animais viajarem presos deve-se tomar o cuidado para que as amarras tenham um comprimento suficiente para que os animais possam deitar, comer e beber, se necessário. Além disso, tais amarras devem ser concebidas de modo a evitar qualquer risco de estrangulamento. 

Duração do transporte de cavalos

É importante estar atento, também, para o tempo em que o equino ficará embarcado, respeitando as limitações do animal. Geralmente, se em boas condições de viagem, os cavalos podem suportar cerca de 20 horas de viagem sem paradas. É válido lembrar que, quanto mais tempo embarcado, mais o animal apresentará problemas, como, por exemplo, estresse.

Atenção no embarque e desembarque

Tanto no momento do embarque quanto do desembarque, é preciso tomar todas as precauções para que os cavalos não sofram lesões. É indicado verificar as estruturas usadas nos processos de contenção do animal, embarque e desembarque, buscando prevenir possíveis acidentes. Outro ponto importante a se observar é o comportamento dos animais transportados. Isso requer atenção, pois freqüentemente os animais podem estranhar mudanças bruscas de ambientes.

Estar preparado é o mais importante!

Para que os equinos sejam transportados de maneira sadia e cuidadosa, é fundamental que o responsável se atente para os cuidados apresentado. Podendo assim, garantir a integridade física e mental de seu cavalo.

Dessa forma, um profissional capacitado, com conhecimento nos cuidados que envolvem do manejo ao tratamento de transporte e contenção, além de cuidados de primeiros socorros garante um transporte muito mais seguro para o animal. Portanto, quem quer trabalhar com cavalos, ou evitar quaisquer possíveis prejuízos que possam vir do transporte desses animais deve estar ciente dos cuidados necessários e capacitado para as situações ao longo do trajeto.

Fontes: Revista Horse e Cavalo Atleta