Você sabe o quanto um proprietário de cavalo se importa com seu animal? Se não sabe vá conhecer.

Ignorância

É comum ler “posts” em redes sociais de gente falando dos maus tratos aos animais e dando opiniões do nosso “mundo do cavalo” sem nunca ter participado dele ou no mínimo tentar conhecer.

Isso me incomoda muito, a ignorância no assunto, eu, minha filha e netas somos praticantes de hipismo salto.

COPA Virtual de Salto 2021 Clube do Hipismo

Eu entrei nesse mundo há 20 anos, eu era totalmente urbano cavalo só em filmes, e o que aprendi é que 80% dos proprietários são APAIXONADOS por seus animais, gastam tempo e dinheiro para mantê-los sempre bem, investem em veterinários, massagistas, ferreadores, alimentação, vitaminas, material de apoio.

Antes de fazer um post, vá visitar um clube equestre, na cidade de São Paulo temos o clube Hípico de Santo Amaro, a Hípica Paulista, ou mesmo ao redor da cidade pequenas hípicas e haras que se dedicam ao esporte.

Se é de outra região, garanto que aí também tem locais para conhecer e não escrever besteira.

Somente depois venha colocar no mesmo “saco” os 80% dos proprietários responsáveis junto com 20% dos irresponsáveis que nós do mundo do cavalo também repudiamos.

Infelizmente tem “postadores” que vivem de criar conflito sem nunca realmente olhar, isso dá a eles (elas) visibilidade, são o bastião do politicamente correto (sic) no mundo “animal”.

Eu, minha filha e netas praticamos hipismo salto, meus cavalos hoje vivem soltos, são extremamente bem alimentados, são montados 3 vezes por semana, não mais que por uma hora, porque não são jovens (22, 20 e 14 anos), temos todos os cuidados.

Já perdi um amigo, meu cavalo, mas lutei muito para não perder, com hospital e veterinários de primeira linha, nunca medi esforços para socorrer qualquer animal.

A FEI (Federação Internacional Equestre) tem regras rígidas com relação aos maus tratos, tanto em competições quanto no dia a dia, constantemente atletas e treinadores são punidos.

Outras associações e federações, como o pessoal do cavalo crioulo, muito popular no Brasil, principalmente no SUL, mantém também um protocolo rígido, e isso se estende a todos que de alguma forma organizam e estão envolvidos no mundo do cavalo, são apaixonados pelos animais.

Onde pode e há maus tratos é quando não se está ligado a nada, pessoas inescrupulosas que usam seus animais de forma exploratória, aí sim os “posts” deveriam atuar.

Como falei, é irresponsável colocar 80% dos proprietários de cavalos que seguem regras rígidas das suas associações ou federações, ou mesmo por amor, com 20% que simplesmente não tem respeito por QUALQUER animal.

Marco Vidal