Expedição Velho Chico percorrerá quatro mil quilômetros a cavalo

Sebastião Malheiro e Pedroca Aguiar estão à frente da expedição. Crédito da foto: Gironda Promoções.

Cavalgada pretende ressaltar a importância do segmento equestre para o agronegócio e colocar em evidência as qualidades do cavalo Mangalarga 

A Expedição Velho Chico deu início, no dia 04 de setembro, no Parque do Lago, em Dourado (SP), a uma cavalgada de longa duração que irá percorrer toda a bacia do rio São Francisco, perfazendo um trajeto de quatro mil quilômetros por seis estados brasileiros, no decorrer de mais de cinco meses de viagem. 

A comitiva da expedição é composta pelos experientes cavaleiros Sebastião Malheiro Neto, de 59 anos, e Pedro Luiz Aguiar, o Pedroca, que completará 88 anos no próximo dia 18 de fevereiro, data prevista para a conclusão da cavalgada, com a chegada da expedição à foz do rio São Francisco. 

Em sua primeira semana na estrada, Malheiro e Pedroca cruzaram a região norte do estado de São Paulo, passando por municípios como Araraquara, Ribeirão Preto, Pontal, Brodowski e Batatais, e nessa segunda-feira (14) ingressaram em território mineiro com destino à Serra da Canastra, onde está localizada a nascente do rio São Francisco. 

A partir deste ponto, a comitiva percorrerá a bacia do Velho Chico, como o rio é carinhosamente conhecido, atravessando os estados de Minas Gerais, Bahia e Pernambuco, com destino à sua foz, localizada na confluência com o oceano Atlântico, na divisa entre os estados de Alagoas e Sergipe. 

Os cavaleiros viajam com seis equinos da raça Mangalarga, cedidos por tradicionais criadores do estado de São Paulo. São eles: Olinda do Vassoural (Beatriz Biagi Becker), Jaguatirica da Bica (João Pacheco Galvão de França), Embalo Cava Colina (Francisco Diniz Junqueira Franco), Ifigênia RBV (Luis Augusto Opice), Bonita MAB (Sebastião Malheiro Neto) e Quimera de Dourado SM (Sebastião Malheiro Neto).   

Cada cavaleiro se reveza entre dois animais ao longo do trajeto. Já os dois animais extras ficam à disposição dos amigos que queiram acompanhá-los por alguns trechos nas muitas localidades que vêm sendo visitadas ao longo da cavalgada, que conta com o apoio oficial da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM). 

 

Importantes objetivos 

 

Segundo Malheiro, além do prazer de cavalgar por uma das mais belas regiões do país, o projeto possui uma série de importantes objetivos. “A expedição pretende colocar as atividades hípicas em evidência para o público brasileiro, mostrando assim a relevância do segmento equestre para o agronegócio nacional, afinal esse é um setor que movimenta uma cifra anual superior a R$ 16 bilhões e que gera mais de seiscentos mil empregos diretos, segundo dados da Câmara Setorial da Equideocultura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).” 

Malheiro ressalta ainda que o projeto pretende divulgar e popularizar as cavalgadas e raids equestres entre a população brasileira, mostrando como essas são atividades acessíveis a pessoas de diferentes faixas etárias e distintos graus de habilidade. A iniciativa, além disso, tem a intenção de colocar em evidência as qualidades do cavalo Mangalarga, equino de origem brasileira que apresenta grande aptidão para as cavalgadas de longa duração, graças à sua rusticidade, resistência e, em especial, à sua marcha progressiva, cômoda e equilibrada. 

Os objetivos do projeto, entretanto, não param por aí, se estendendo também ao campo científico. Afinal, a expedição contará com o apoio e a participação de veterinários, zootecnistas e outros profissionais, que serão responsáveis por coletar dados de pesquisa para análise e posterior publicação de trabalho científico, abordando a fisiologia do exercício dos animais ao longo do evento. 

Essa não será a primeira aventura protagonizada por Malheiro e Pedroca. Os dois cavaleiros estiveram envolvidos com outras duas cavalgadas que marcaram a equinocultura nacional. Realizada entre 1991 e 1993, a Brasil 14 mil entrou para o Guinnes Book após alcançar a notável marca de 14 mil quilômetros percorridos em território brasileiro. Por sua vez, a Tropel Mangalarga 1400 ocorreu no ano de 2011, percorrendo a distância de 1,4 mil quilômetros que separa as cidades de São Paulo (SP) e Brasília (DF). 

Para acompanhar o dia a dia da Expedição Velho Chico, basta seguir as páginas oficiais da ABCCRM no Facebook e no Instagram. Já para saber mais detalhes sobre a raça Mangalarga, visite o portal www.cavalomangalarga.com.br

Sebastião Malheiro e Pedroca Aguiar estão à frente da expedição. Crédito da foto: Gironda Promoções.
Sebastião Malheiro e Pedroca Aguiar estão à frente da expedição. Crédito da foto: Gironda Promoções.