A França está enfrentando uma onda sem precedentes de ataques a cavalos em todo o país, que deixou investigadores perplexos e fazendeiros preocupados com a segurança de seus animais.

Fonte: Forbes

Mais de 150 cavalos foram mutilados em uma série de incidentes aparentemente aleatórios. Os ataques variam de simples lacerações à remoção de um olho ou outras partes. Sem um padrão específico, as especulações variam de um único atacante com motivações desconhecidas a um culto satânico realizando algum tipo de cerimônia.

Investigações conjuntas estão sendo conduzidas por diversos órgãos, incluindo polícias local e nacional, serviço de inteligência territorial central (SCRT) e escritório central de combate aos danos ambientais e à saúde pública (Oclaesp), segundo o jornal francês Liberation .

No início de setembro, 153 investigações sobre esses ataques estavam em andamento, de acordo com a rádio France Bleu . Os ataques foram relatados em 20 departamentos e incluem mais de 30 neste verão.

“Existem hoje 153 investigações abertas em toda a França, em mais da metade dos departamentos da França”, disse o ministro do Interior, Gérald Darmanin, em 9 de setembro, segundo o site de notícias Ouest-France .

Alguns desses ataques remontam a dois anos, mas parecem ter se acelerado no verão, desencadeando uma onda de histórias que finalmente chamaram a atenção nacional para o problema.

No final de agosto, o ministro da Agricultura francês, Julien Denormandie, visitou um centro equestre em Saône-et-Loire, onde ocorreu um desses ataques. Ele condenou a violência animal e prometeu que o governo faria o que fosse necessário para encontrar as pessoas envolvidas.

“Esses atos de barbárie contra os cavalos são insuportáveis”, escreveu ele em um tweet. “Todos os meios necessários estão sendo mobilizados e implementados para acabar com esse terror.”

Durante essa visita, ele conheceu o proprietário do estábulo Thomas Desgres, que havia descoberto um de seus cavalos com um corte profundo na orelha. Desgres disse que agora dorme perto do estábulo e acorda para fazer verificações de segurança a cada 30 minutos, de acordo com a France Bleu .

No departamento vizinho de Yonne, um proprietário de estábulo pegou dois homens cortando um cavalo e deu à polícia a descrição de um deles . Em 8 de setembro, as autoridades prenderam um suspeito no Haut-Rhin com base nessa descrição, mas posteriormente o libertaram depois que um álibi foi verificado 

A ausência de uma motivação clara levou à especulação de que os atos estão sendo cometidos por um culto satânico. Em uma entrevista ao jornal La Dépêche , o historiador religioso Jacky Cobbler disse que muitos dos ataques envolveram a mutilação da orelha do cavalo. Isso sugeria algum tipo de ritual.

“Arrancar uma orelha, um olho ou catar sangue assemelha-se a práticas de bruxaria”, disse ele. “Esses órgãos são usados ​​por eles para adquirir a força e a força do animal. Historicamente, esse tipo de sacrifício existia para enfeitiçar alguém por poder ou sexo. ”

Enquanto isso, os moradores locais estão resolvendo o problema por conta própria. No departamento de Tarn-et-Garonne, por exemplo, os proprietários de cavalos locais formaram um grupo denominado “SOS Chevaux 82”, uma espécie de vigilância de bairro para patrulhar campos e estábulos. Usando coletes amarelos com o nome do grupo nas costas, os membros se revezam durante o dia e a noite observando os cavalos uns dos outros.

“Nosso colete amarelo é nossa única arma”, disse Didier Thouron, proprietário de um centro equestre que ajudou a organizar o grupo de vigilância. “A ideia é proteger os animais e conscientizar mais os donos.”