Adestramento abre as disputas do hipismo em Tóquio e João Victor Oliva é o 1º no picadeiro

João Victor Oliva e Escorial Horsecampline aprovados na inspeção veterinária (Luis Ruas, Hipismo Brasil)

Após ser o primeiro brasileiro na Vila Olímpico, após a inspeção veterinária, o sorteio na reunião de chefe de equipes definiu a ordem de entrada e João Victor com seu Escorial também será o 1ª a largar no Grand Prix, abrindo as disputas do hipismo em Tóquio, nesse sábado, 24, às 5 da manhã (BSB).

O cavaleiro brasileiro Joao Victor Marcari Oliva e Escorial, garanhão lusitano de 12 anos, será o primeiro a adentrar no picadeiro no Grand Prix, nesse sábado, 24/7, às 5h00 (fuso brasileiro) da manhã, ou seja cinco da tarde, no Parque Equestre Baji Koen, em Tóquio, na modalidade Adestramento abrindo as disputas do hipismo nos Jogos Olímpicos. O Grand Prix, vale como qualificativa das equipes e individual, e acontece no sábado e domingo, 24 e 25/7.

A inspeção veterinária rolou nessa quinta-feira, 23, pela manhã em Tóquio e dos 72 cavalos, apenas dois ficaram para re-inspeção na manhã do sábado, 9h30 (fuso local): Hot Chocolat apresentando por Isabelle Pinto da França e Sultao Menezes do português Carlos Pinto. Após a inspeção veterinária, conforme a regra, na reunião de chefe de equipe teve sorteio da ordem de entrada e as 15 nações concorrentes entram na disputa pela seguinte ordem: Dinamarca, Japão, Austrália, Grã Bretanha, Suécia, Espanha, Portugal, Canadá, Rússia, Áustria, Bélgica, França, EUA e Alemanha. A Alemanha vai defender o título em busca do 14º ouro por equipes. João Victor Oliva está entre os 15 concorrentes individuais.

Curiosamente, João Victor, de 24 anos, também foi o primeiro brasileiro na Vila Olímpica em Tóquio e seu maior desafio é superar sua a própria marca.”Cheguei no dia 15, fui o primeiro atleta brasileiro na Vila Olímpica. Estamos curtindo, aproveitando a experiência aqui no Japão melhor maneira possível. O cavalo está bem e estamos nos preparando para chegar na melhor forma no dia da competição”, destacou João, melhor resultado do Time Brasil na Rio 2016, onde foi 46º colocado, com 68,071% de aproveitamento.

“A gente busca melhorar a cada dia, é um cavalo que eu estou há pouco tempo com ele e vamos evoluindo gradativamente, aprendendo com os erros e levando a experiência para ter mais sucesso no futuro”, disse João, que também comentou o clima nos Jogos, perante a pandemia. “Tem mais restrições que no Rio de Janeiro. Mas clima olímpico é sempre bom e a gente está contente com os outros cavaleiros e atletas nos Jogos Olímpicos”.

Sandra Smith de Oliveira Martins, chefe de equipe, elogiou a dupla. “O conjunto do João e Escorial é um conjunto muito bom, vem treinando bem também com acompanhamento de seu treinador Norbert van Laak que também gostando do desempenho da dupla. Acho que o João tem toda a condição de melhorar sua marca do Rio de Janeiro”, ponderou Sandra. Para João, “tudo pode acontecer, cavalo é cavalo, vai ser de noite com luzes e câmeras. Estamos preparados e seja qual for o resultado a gente leva como experiência e aprendizado. Temos que ter pensamento positivo e estou confiante. Agradeço a minha equipe, família e todos os amigos que estão torcendo por mim. Muito obrigado!”

Grupos

Os atletas foram distribuídos em seis grupos, três a cada noite. Nove atletas largam no primeiro grupo com João Victor Oliva e Escorial que ainda inclui a australiana Mary Hanna, 66, com Calanta e britânica Charlotte Fry com Everdale. O holandês Edward Gal co Total será o primeiro no forte gruço 2 e a top dinamarquesa Cathrine Dufour e Bohemian fecham essa rodada. Encerrando a competição no sábado, Jessica von Bredow-Werndl e TSF Dalera, da Alemanha, é a última no picadeiro às 9h42 (fuso brasileiro), 21h42min em Tóquio.

Os outros três grupos competem no domingo, 25, definindo as equipes top 8 que vão disputar o Grand Prix Special na definição do pódio das nações na terça, 27/7. A número 1 do mundo, a alemã Isabell Werth com Bella Rose será a última em pista. Já a corrida pelo ouro individual será decidida na quarta, 18, no Grand Prix Freestyle com participação dos top 18 do Grand Prix.

Instalações de 1ª qualidade

A infraestrutura de ponta da Associação Japonesa de Corrida, de propriedade de Baji Koen, local da competição, inclui concheiras com ar condicionando, boas pistas de aquecimento para os cavalos além da bela arena de competição oficial. O clima é entusiasmo e alívio e os Jogos que estiveram perante o desafio da pandemia da Covid-19 e ainda do surto do Herpes Vírus Equino (EHV-1) no continente europeu, agora vão começar.

“Estamos muito gratos por estar aqui em Tóquio e queremos agradecer profundamente os nossos anfitriões, o povo japonês e, é claro, o comitê organizador de Tokyo 2020 e Comitê Olímpico internacional que acreditaram nos Jogos e acharam uma maneira para que pudessem transcorrer de modo seguro”, destacou Ingmar De Vos, presidente da FEI. “Nossos alteas e cavalos estão prontos, as instalações são fantásticos, temos voluntários incriveis e estamos prontos para o melhor esporte olímpico no hipismo, que começa com adestramento nesse sábado!”

Para acessar a ordens de entrada e resultados ao vivo – clique aqui

PROGRAMAÇÃO ADESTRAMENTO

Sexta-feira, 23 de julho
1ª inspeção veterinária

Sábado, 24 de julho – 5h00 a 10h15
Grand Prix
(1ª qualificativa equipes e individual – Sessão 1
(30 participantes)

Domingo, 25 de julho – 5h00 a 10h15
Grand Prix
1ª qualificativa equipes e individual – Sessão 2
(30 participantes)

Terça-feira, 27 de julho – 5h00 a 10h15
Grand Prix Special
Final por equipes
Cerimônia de Premiação Equipes
(24 participantes)

Quarta-feira, 28 de julho – 5h30 a 9h15
2ª inspeção veterinária
Grand Prix Freestyle
Cerimônia de Premiação Individual
(18 participantes)


Imprensa CBH com infos: FEI – Louise Parkes e entrevista Revista Horse

Colaboração: Carola May