Atletas do Adestramento Paraequestre se despedem da Paralimpíada com resultado inédito

Rodolpho Riskalla e Don Henrico no Freestyle (Wander Roberto - CPB)

Depois da conquista da medalha de prata, Rodolpho Riskalla montando Don Henrico, no Grau IV, ficou em 5º no Freestyle na segunda-feira, 30. Sérgio Oliva com Milenium, no Grau I, terminou sua participação nos Jogos entre os Top 10.Agora o Brasil computa cinco medalhas na história dos Jogos.

COPA Virtual de Salto 2021 Clube do Hipismo

O Adestramento Paraequestre teve sua última competição na Paralimpíada de Tóquio na segunda-feira, 30/8, com a prova Estilo Livre (Freestyle) que reuniu 40 conjuntos que ficaram entre os oito melhores resultados nos cinco graus em que se divide a modalidade. O Brasil foi representado por Rodolpho Riskalla montando Don Henrico, conjunto do Grau IV e prata na prova técnica na quinta-feira, 26.

Nessa segunda-feira, o cavaleiro paulista ficou entre os top 5 no Freestyle, a prova com coreografia livre e música, registrando a nota 74,070%. A apresentação do conjunto teve alguns momentos de tensão a galope, prejudicando o desempenho e o sonho de uma segunda medalha: “No trote e passo fomos super bem e no galope o Don Henrico esquentou um pouco. Aí ele demora um pouco para acalmar de novo, as figuras são próximas e com a tensão perdemos um pouco em harmonia. Não podemos falar que foi ruim, ficamos em 5º e temos uma medalha de prata. Continua todo mundo feliz e prontos para próxima: daqui a um ano no Mundial”, comentou Riskalla.


No Grau IV o resultado do pódio no Freestyle teve a holandesa Sanne Voets montando Demantur conquistando novamente o ouro (82.085%) assim como o belga Manon Claeys / San Dior 2 (75.680%) o bronze; já a prata ficou com a sueca Louise Etzner Jakobsson / Goldstrike B.J. (75.935%). Sannne Voets também foi ouro individual na Rio 2016. 

O outro representante brasileiro no Adestramento Paraequestre, Sérgio Froés Oliva montando Milenium, no Grau I, ficou em 10º entre 18 competidores na prova técnica na sexta-feira, 27, com a boa média de 69,643%, mas não avançou para o Freestyle. O cavaleiro brasiliense de 39 anos e equipe, no entanto, ficaram felizes com o resultado e comemoraram a evolução rápida do conjunto recém formado. Dono de dois bronzes nos Jogos do Rio 2016 e campeão mundial em 2007 em Hartpury, na Inglaterra, Sérgio estava sem competir internacionalmente desde o início de 2020 em razão da pandemia da Covid-19. “Estamos bem felizes com o resultado. O Sérgio e o Milenium evoluíram muito rápido saindo de um percentual 61% há um mês e meio para quase 70%”, destacou Marcela Parsons, diretora de Paraequestre da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) e treinadora do cavaleiro. “Encerro minha estadia no Japão com grande aprendizado foi uma vitória o que fizemos em pista na competição mais difícil que já participei.A equipe do Brasil está de parabéns pelo resultado. Eu, particularmente, acredito que fiz 100% do possível”, disse Sérgio, que garantiu sua 4ª participação olímpica consecutiva em Tóquio.


A disputa por equipe, definida no sábado, 28, reuniu 15 nações, em que a Grã Bretanha confirmou o favoritismo conquistando o ouro por equipe em um total de oito medalhas, com dois ouros individuais, três pratas e dois bronzes. A Holanda faturou a prata em um total de seis medalhas com dois ouros, uma prata e dois bronzes na disputa individual. Os Estados Unidos ficaram com o bronze, além de dois ouros individuais.

Dos 27 países representados no Adestramento Paraequestre em Tóquio, 11 voltaram para casa com medalhas: Grã Bretanha (7), Holanda (5), Bélgica (4), Estados Unidos (3); com duas medalhas ficaram a Dinamarca, Latvia, Áustria e Itália, e com uma medalha a Alemanha, Noruega e o Brasil.

Histórico 

O Brasil soma agora cinco medalhas no adestramento paralímpico. Dois bronzes Marcos Fernandes Alves, o Joca, em Pequim 2008 e outros dois com Sergio Froes Oliva na Rio 2016 e inédita prata de Rodolpho Riskalla em Tóquio. 

QUADRO DE MEDALHAS ADESTRAMENTO PARAEQUESTRE Tokyo 2020

 

PÓDIO INDIVIDUAL
PROVAS TÉCNICAS
26 e 27/8

GRAU I
Ouro: Roxanne Trunnell / Dolton – Estados Unidos – 81.464%
Prata: Rihards Snikus / king of the Dance – Latvia – 80.179%
Bronze: Sara Morganti / Royal Delight – Itália – 76.964%

GRAU II
Ouro: Lee Pearson / Breezer – Grã-Bretanha – 76.256%
Prata: Pepo Puch / Sailor`s Blue – Áustria – 73.441%
Bronze: Georgia Wilson / Sakura – Grã Bretanha – 72.765%

GRAU III
Ouro: Tobias Thorning Jorgensen / Jolene Hill – Dinamarca – 78.971%
Prata: Natasha Bake / Keystone Dawn Chorus – Grã Bretanha – 76.265%
Bronze: Rixt van der Horst / Findsley – Holanda – 75.765%

GRAU IV
Ouro: Sanne Voets / Demantur – Holanda – 76.585%
Prata: Rodolpho Riskalla / Don Henrico – Brasil – 74.659%
Bronze: Manon Claeys / San Dior 2 – Bélgica – 72.583%

GRAU V
Ouro: Michele George / Best Of 8 – Bélgica – 76.524%
Prata: Sophie Wells / Don Cara M – Grã Bretanha – 74.405%
Bronze: Frank Hosmar / Alphaville – Holanda – 73.405%


PROVA ESTILO LIVRE (FREESTYLE)
Segunda, 31/8

GRAU I
Ouro: Roxanne Trunnell / Dolton – Estados Unidos – 86.927%
Prata: Rihards Snikus / king of the Dance – Latvia – 82.087%
Bronze: Sara Morganti / Royal Delight – Itália – 81,100%

GRAU II
Ouro: Lee Pearson / Breezer – Grã Bretanha – 82,447%
Prata: Pepo Puch / Sailor’s Blue – Áustria – 81,007%
Bronze: Georgia Wilson / Sakura – Grã Bretanha – 76.754%

GRAU III
Ouro: Tobias Thorning Jorgensen / Jolene Hill – Dinamarca – 84.347%
Prata: Natasha Bake / Keystone Dawn Chorus – Grã Bretanha – 77.614%
Bronze: Ann Cathrin Lubbe / La Costa Majlund – Noruega – 76.447%

GRAU IV
Ouro: Sanne Voets / Demantur – Holanda – 82.085%
Prata: Louise Etzner Jakobsson / Goldstrike B.J. – Suécia – 75.935%
Bronze: Manon Claeys / San Dior 2 – Bélgica – 75.680%

GRAU V
Ouro – Michele George / Best Of 8 – Bélgica – 80.590%
Prata: Frank Hosmar / Alphaville – Holanda – 80.240%
Bronze: Regine Mispelkamp / Highlander Delight’s – Alemanha – 76.820%

 

EQUIPES

Ouro: Grã Bretanha (229.905%) com time formado por Lee Pearson / Breezer (Grau II), Natasha Bake / Keystone Dawn Chorus (Grau III) e Sophie Wells / Don Cara M (Grau V).

Prata: Holanda (229.249%) com equipe formada por Rixt van der Horst / Findsley (Grau III), Frank Hosmar / Alphaville (Grau V) e Sanne Voets / Demantur (Grau IV).

Bronze: Estados Unidos (224.352%) com o time formado por Roxanne Trunnell / Dolton, Rebecca Hart / El Corona Texel (Grau III) e Kate Shoemaker / Solitaer 40 (Grau IV).

 

Colaboração – Carola May e Rute Araujo